Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte, e duro como a sepultura o ciúme; as suas brasas são brasas de fogo, com veementes labaredas. As muitas águas não podem apagar este amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens de sua casa pelo amor, certamente o desprezariam (Ct 8: 6-7; Fiel).

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Músicas que os pais fizeram aos seus filhos (V) - "All my love" - Led Zeppelin

Karac, Robert Plant e Carmem

Qual o valor de uma família para um homem? É impressionante que nos lugares mais inusitados possamos encontrar arraigado o valor da família na vida de um homem. Às vezes, muito se fala da família tradicional, assentada sobre valores judaico-cristãos, modelo tão fervorosamente combatido nos últimos 100 anos. Tão combatida pelas vanguardas culturais que ficaríamos surpresos pelo testemunho dado por pessoas que jamais pensaríamos valorizar tanto assim suas próprias famílias.

Estou falando, primeiramente, de John Henri Bonham, o baterista da banda de rock Led Zeppelin, cujas ausências excessivas de casa por causa dos shows o atormentavam e o levaram ao uso abusivo de drogas e álcool. Segundo a versão oficial, Bonham sofria com o excesso de tempo ausente da família e isso o lançou numa profunda crise de nervos. No dia 24 de setembro de 1980, Bonham chegou a tomar 40 doses de vodka. Adormecendo, foi levado ao quarto onde seria encontrado morto no dia seguinte asfixiado no próprio vômito. Este foi o tiro fatal que acabou com a banda, que já vinha por toda década de 70 enfrentando reveses na sua trajetória. Bonham era o melhor amigo de Robert Plant desde a juventude. Todavia, antes de encerrar a banda em 1980, ela já passara por outra tragédia.

Robert Plant, vocalista do Led Zeppelin, via-se muito frustrado com a quantidade exaustiva de shows agendados no contrato, pois isso o afastava de sua família. Robert Plant era casado na época com Maureen Wilson com quem tivera dois filhos, Carmen e Karac.  Este, a quem Plant era muito ligado, morre aos 5 anos de idade em 1977, vítima de um vírus estomacal. Naquele momento, Plant quase leva adiante a ideia que já vinha acalentando nos últimos anos de abandonar tudo e ser professor para poder ficar mais perto da família.

Há muitas histórias sobre o Led Zepellin e seu envolvimento com o misticismo e o ocultismo, mas não é o foco desta série abordar estes temas. Quero chamar a atenção para dois astros do rock dos anos 70 que sucumbiram por causa da agenda de compromissos que os tirou de suas famílias. Eles mesmos dão testemunho do quanto sofreram por não se dedicarem à vida familiar. Evidentemente, isso faz qualquer um repensar as prioridades da agenda escravizadora e o valor que realmente tem dado a própria família.


Após a morte de Karac, Robert Plant fez esta belíssima música para o filho. Uma música bem no estilo místico, simbólico e de versos enevoados, como as demais letras que habitam as músicas da banda, mas cuja mensagem ao filho é evidente: “Todo meu amor para você, minha criança”!  

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...